Não insista. ( Play no video )



     Eram 3:00 da manhã quando toque delicado e naquele momento importuno do celular começa a soar do meu lado. Era ele!
- Porque liga agora?
- Estou com saudades!
- Isso não é hora para saudades. Me esqueça.
- Nunca! Saudade não tem hora. Me perdoa?
- Boa Noite!
   E lá se foram os cincos longos minutos até que eu pudesse voltar a dormir.
   Eu não pensava mais nele, não queria mais vê-lo. Droga!! Mas esses minutos me fizeram querer ele da melhor forma possível.
 
   Já passava das 7 horas da manhã e mais uma vez estava eu lá, atrasada. Mesmo não sendo muito convicente, querendo ou não eu tinha um motivo dessa vez.
  Chegando na portaria do prédio, Seu João - o porteiro- me entregava um buquê de fores. Lindos! Mas no fundo eu já sabia quem havia mandado, mesmo assim  me pus a ler o cartão.
" Preciso de você para ser feliz "
Rasguei e joguei as flores fora.
Tirei o celular da bolsa e respondi:
" Tarde demais. "